Friday, July 30, 2010

Macacão florido: final - Floral print jumpsuit: final review

Português
English (uncheck the other box and check this one)


Molde: Revista Patrones nº294, modelo 18

Descrição: Macacão cai-cai com calça estilo “baggy”, franzido elástico na cintura (ver aqui como se faz; obrigada também à Moema de Recife, Brasil, por esclarecer que no Brasil esse elástico se chama LASTEX), fecho invisível lateral e nos tornozelos. Cortei o tamanho Patrones 42 (corresponde mais ou menos ao 40 da Burda)

Tecido utilizado: Crepe Georgette estampado preto com flores em cru

Alterações ao modelo original: Como referido anteriormente, reforcei com entretela algumas áreas (ver aqui). Quando experimentei a primeira vez o macacão, vi-me deparada com o facto de os meus movimentos das pernas estarem restringidos (não consegui dar passos grandes) e também se me sentasse as costas do macacão desciam, pois não havia comprimento do gancho suficiente para acomodar a posição sentada. À partida, analisando o molde da calça (espreitem na foto seguinte), parece que o gancho é bastante descido, mas isso é enganador pois a cintura do modelo é subida (fica um pouco acima da cintura natural do nosso corpo). Também podem ver que não existe costura no gancho (o molde é cortado na dobra) e as pernas em baixo são bastante estreitas, não deixando a calça subir para compensar atrás na posição sentada. Então como resolver esta situação?

Resolvi descoser a costura interior das pernas no meio, cerca de 45cm, e acrescentar um encaixe em forma de “peixe” para ganhar alguma folga nesta área. Na foto seguinte consegue-se ver o encaixe (notem a direcção das riscas, para poderem distinguir o encaixe):

Depois de cosido este encaixe fiquei satisfeita com o conforto e liberdade de movimentos e dei como terminado o trabalho.

Detalhes:
A parte de cima com o franzido na cintura:

O fecho invisível na lateral esquerda:



A parte de cima:

Conclusão: O meu objectivo era fazer um macacão florido que não fosse igual aos que toda a gente anda a usar e que pudesse vestir de forma mais sofisticada que os modelos juvenis normalmente à venda. Creio que consegui o meu objectivo e estou muito contente com o resultado!

Obrigada a todos!

EPA(Editado para acrescentar): Podem ver-me a usar o macacão aqui

xoxo


Pattern: Patrones magazine #296, model 18

Description: Jumpsuit has pleated bodice and baggy pants, waist shirring (click here to see how it’s done), and invisible side and ankle zippers. I cut a size 42 (it corresponds roughly to Burda’s size 40)

Fabric used: Synthetic Georgette floral print (black with ivory little flowers)

Alterations: As I mentioned on previous post, I interfaced some areas (click here). When I first tried the jumpsuit on, I discovered that my movements were limited (I couldn’t take big steps) and also the back of the jumpsuit would ride down when I was sit. This is usually due to insufficient crotch length to accommodate the sitting position. If you observe the pattern on the next picture, it would seem that the pants have low crotch (in fact there’s no crotch seam, the pants are cut on the fold), but this is deceiving because this jumpsuit has the waist above the natural waist – the shirring is made on the pants). So what to do to fix this?

I decided to add a crotch gusset, unstitching the side seams across the crotch for about 18 inches and add a fish shaped gusset on this area. It is barely noticeable in the next picture:

After this fix, I was quite pleased with the wearing comfort and freedom of movement achieved and I proclaimed the project as finished.

Details:
The bodice and the shirring on the waist:

The invisible zipper on the left side:



Bodice on the dressform:

Conclusion: My goal was to make a floral jumpsuit that wasn’t just like the ones everybody else is wearing and that I could wear on a more sophisticated note. I believe I achieved exactly what I was looking for and I’m quite happy with the end result!

Thank you all for visiting!

ETA: See me wearing the jumpsuit here

xoxo

Thursday, July 29, 2010

Macacão florido: franzido elástico na cintura - Floral print jumpsuit: elastic shirring on the waist

Português
English (uncheck the other box and check this one)

É uma técnica muito fácil e que vos permitirá fazer vestidos simples de criança, por exemplo, ou até este vestido da Burda do mês de Julho (Burda Portuguesa nº2):

Para fazer este franzido é necessário fio elástico especial, à venda nas retrosarias (existe em branco e preto, pelo menos). Este fio deve ser enrolado À MÃO na bobina da máquina, com uma ligeira tensão:

Com a bobina colocada na máquina e a agulha com fio normal, deve-se soltar um pouco a tensão da linha da agulha e aumentar o tamanho do ponto. Eu diminuí a tensão da linha da agulha para metade do que uso normalmente para coser e usei o tamanho máximo do ponto (mas poderia usar um pouco menor). Pode-se fazer umas guias no tecido com giz, para as várias carreiras elásticas ficarem bem certinhas. Depois é só coser normalmente PELO LADO DIREITO DO TECIDO. Depois da primeira carreira feita, é necessário esticar o tecido ao coser as carreiras seguintes. É muito fácil. No avesso (onde fica a linha elástica) fica assim:

E o direito do trabalho fica assim:

Em relação à confecção, a única dificuldade adicional é coser o fecho invisível (alguém viu o Projecto Moda cá em Portugal? Um dos concorrentes não sabia coser um fecho invisível) e já referi anteriormente que o método mais conhecido usa um calcador especial. Este tutorial, que descobri online, está em Inglês mas tem umas fotos fantásticas que vão ajudar a perceber bem este método; cliquem aqui para consultá-lo.
O método que prefiro e tenho usado é o da Sewing Diva Els, cujo tutorial (também em Inglês) pode ser consultado aqui. Neste caso não é necessário um pé calcador especial e pode usar-se o pé de coser os fechos (zipers) normais.

Finalmente há também o pormenor do acabamento das costuras no interior; neste caso usei a corta-e-cose, que é prática e rápida, mas quem não tiver pode usar um ponto de ziguezague estreito ou até uma tesoura de cortar em ziguezague. Não se esqueçam de ir sempre assentando a ferro cada costura que cosem, para depois não ficarem com aquele aspecto enrugado nas costuras, que dá logo um aspecto amador à peça.

Vou tentar publicar o post final do macacão amanhã, com fotos no manequim; também tenho fotos com ele vestido, mas essas serão publicadas no meu blog de guarda-roupa e estilo pessoal. Fiquem bem e obrigada por passarem aqui!

EPA (Editado Para Acrescentar): Uma leitora (a Cindy) deixou nos comentários mais uma dica valiosa: apliquem um pouco de vapor ao franzido depois de pronto para lhe dar um aspecto melhor acabado! Obrigada Cindy!

This is a very simple technique that will enable you to sew simple dresses and tops, little girls dresses, etc. Here’s an example of a very simple dress featured in the July issue of BurdaStyle:

To create the elastic shirring you’ll need special purpose elastic thread found on every notions store. The usual colors are black and white, but I believe there are more in the market. The thread should be winded BY HAND with slight tension on the thread.

The Machine is then threaded with elastic thread in the bobbin and regular sewing thread in the needle. I altered the tension setting of the needle thread, loosening it by half the regular tension used for stitching. I also set the stitch length to a larger stitch. You can draw some chalk parallel lines to guide your stitching if you like. Then stitch normally with the RIGHT SIDE OF THE FABRIC FACING UP. After sewing the first stitching line you must stretch the previous shirring as you sew the following rows, it’s quite easy and straight forward. The wrong side (where the elastic thread will be visible) looks like this:

And the right side:

As for the remaining construction process, the only “dificulty” will be setting in the invisible zipper (The Portuguese Project Runaway – Projecto Moda – starred this week and one of the contestants didn’t know how to properly sew an invisible zipper, go figure). I’ve covered this matter several times but I will address it once more. The commonly used method involves the use of a special purpose zipper foot; I found a tutorial online that features great pictures, click here.
The method that works best for me is explained by Sewing Diva Els in this excellent illustrated tutorial, as I mentioned several times. It doesn’t require the use of a special purpose foot, a regular zipper foot is used to sew in the invisible zipper.

Finally, a quick note addressing the seam finishing; for this project I used my serger for finishing raw edges, but if you don’t own one you can either pink the seam allowances or finish them with a narrow zigzag stitch. Don’t ever disregard the “press as you sew” rule, otherwise you’ll get puckered seams.

I will try to publish the final review by tomorrow and pictures of the jumpsuit on the dressform. I have pictures of me wearing the jumpsuit but those will be published on Tany et La Mode instead. Thanks so much for dropping by!

ETA: Cindy just commented with another useful tip: steam the elastic after you shirr to give it a finished look (thanks Cindy!)

Wednesday, July 28, 2010

Macacão florido: aplicação de entretelas – Floral jumpsuit: interfacing

Português
English (uncheck the other box and check this one)

O único projecto de costura durante as férias foi este modelo da revista Patrones #294:

O modelo requer um fecho invisível de pelo menos 25cm (não é referido o comprimento nas instruções, é necessário medir no molde) e também não é mencionado o uso de nenhum tipo de entretela. Na minha opinião deve reforçar-se o encaixe superior do corpo (uma espécie de cós que prende as pregas da frente onde onde saem as alças), e também os valores de costura na zona de aplicação dos fechos (zípers), tanto na lateral como na beira inferior das calças.

As entretelas e a sua aplicação é uma coisa que aflige a maior parte das principiantes e também por vezes cria percalços às mais experientes, pois cada tecido é um caso e há muitos tipos diferentes de entretela no mercado. O tecido que estou usar creio ser crepe Georgette sintético; é muito fino, desliza muito (para cortar é necessário algum cuidado; ver este excelente post do Paco que fornece dicas para cortar este género de tecidos) e não posso usar uma entretela muito rija… Neste caso optei por uma entretela termo-colante que se encontra à vendas na Feira dos Tecidos e que é uma espécie de malha, que deforma (estica) na largura mas é estável no sentido do comprimento. É uma entretela muito fina, indicada para sedas e tecidos finos. Tem a particularidade de colar a temperatura baixa (mais baixa que a temperatura a partir da qual já se pode usar vapor, entre o 3 e o 2) e não deve ser usado vapor na sua aplicação. Para o encaixe superior cortei-a para que o encaixe não deforme em largura, ou seja a peça que vêm na foto não estica no sentido do comprimento, para não alargar ao usar:

Podem ver a seguir que coloquei a entretela com o lado da cola sobre o lado avesso do tecido, alinhando cuidadosamente o tecido com a entretela (porque o tecido desliza e sai do lugar facilmente):

É essencial usarem um pano de passar para evitar sujarem o ferro e marcarem o tecido. O pano que estão a ver compra-se nos hipermercados nos acessórios de passar a ferro e é feito de algodão:

O ferro não deve deslizar e sim manter-se pressionado durante cerca de 8 segundos no mesmo sítio, e depois repetir mudando de sítio até cobrir toda a zona a colar. No final vira-se a peça (tecido para cima) e passa-se a ferro (desta vez pode-se deslizar o ferro, mas com cuidado), sempre protegendo o tecido com o pano de passar.

Aqui está o resultado depois do processo de colagem. Se olharem com atenção, a tábua de passar ainda tem as marcas onde o ferro esteve pressionado (podem clicar na foto e clicar de novo para aumentar):

Cortei tiras de entretela com a largura das margens de costura, cortadas de forma a não deformarem no sentido do comprimento:

Estas tiras são usadas para reforçar as margens de costura dos fechos (zípers) no avesso e facilitam a sua aplicação.

No próximo post vou mostrar como fiz a parte elástica do cós, com uma técnica muito fácil de coser com fio elástico na bobina da máquina.

Queria agradecer o carinho com que todos me receberam e enviar um abraço muito sentido ao pessoal que me visita regularmente. Até à próxima!

The only completed sewing Project during my vacation was this floral print jumpsuit, featured in the Patrones #294 magazine:

This model requires a 10 inch invisible zipper (at least) on the side. Its length is not referred in the instructions but can be measured directly on the pattern. There’s no mention to interfacing in the instructions either, but in my opinion the upper bodice band and the zipper seam allowances should be interfaced (besides the side zipper there are also two zippers on each leg side)

Interfacing and its use is often a source of affliction to most beginners and sometimes it can give the more experienced some headaches. The first rule is to test first. The fabric I’m using I believe it’s sort of a synthetic Georgette, very sheer, resilient yet drapes beautifully and it responds fairly well to pressing. It slips on the table losing its shape while cutting so you better take precautions (Paco has these excellent tips for dealing with slippery fabrics). I should use soft and drapery interfacing so I chose this sheer knit fusible that is available on the local well know fabric store. It’s usually suited for silks and most kinds of sheer fabrics, so it works perfectly on my fabric. It has some useful characteristics: it fuses at low temperatures (between 2 and 3 setting, just before entering the minimum temp for steaming) and steam is not necessary during the fusing process. There’s also another detail to take into account: this interfacing is stable only lengthwise so direction in cutting is chosen accordingly. The bodice band, for example, should not stretch while wearing and lose its form so the interfacing is cut lengthwise with the pattern:

The interfacing is placed on top of the fabric, the glue side facing the wrong side of the fabric (the fabric should be carefully aligned because it slides out of place so easily):

I always use a pressing cloth when I’m fusing interfacing, it’s safer for the fabric and it prevents the iron from getting remains of glue. This particular pressing cloth is made of sheer cotton and is available at any supermarket:

The iron should not slide; pressure is applied for about 8 seconds, then the iron is lifted and placed again shifting its position and repeating the process until all the area is covered. In the end I usually turn the interfaced fabric with the fabric facing up, and iron it (this time the iron can slide, but gently) always protecting the fabric with the pressing cloth.

Here’s the final result. If you watch carefully (you can click on the Picture and then click again for a better view) you can see the pressing marks still imprinted on the pressing table.

This is how I cut the interfacing stripes that should be cut lengthwise so they don’t stretch; they should be as wide as the seam allowances:

The interfacing stripes are fused along the seam allowances (wrong side) where the zippers should be sewn. Your invisible zippers will turn out much better if you follow this simple step.

Next post will be about the elasticized waist that is very simple to do in this case, using elastic thread in the bobbin as you sew.

THANK YOU ALL again for your love and caring, I’m really touched by you guys! See you all soon!

Tuesday, July 27, 2010

Na Burda Portuguesa de Agosto – Featured in the August issue of the Portuguese Burda

Português
English (uncheck the other box and check this one)

Queridas leitoras e amigas, regressada de férias não posso deixar de mencionar a minha participação na Burda Portuguesa de Agosto, onde expliquei passo-a-passo como fiz o colete de lantejoulas da revista nº1 (Junho de 2010) seguindo um método diferente do mencionado nas instruções da revista e que consistiu essencialmente em trabalho de costura manual (a parte exterior de tecido de lantejoulas foi completamente cosida à mão, e adicionei um forro que também foi aplicado à mão ao colete). Ficam aqui as imagens do resultado final e do modelo original publicado na Burda:



Relembro que a Burda Portuguesa está a aceitar a submissão de modelos confeccionados com os seus moldes (a partir do nº1 inclusive), com a possibilidade de serem depois publicados na revista (a submissão é de uma fotografia de corpo inteiro tirada no exterior a usar o modelo confeccionado por si; é obrigatório que a foto tenha alta resolução para ser impressa na revista). Para mais informações, aceda à página do Facebook da Revista Burda Portuguesa.

Quanto às férias, descansei bastante, praticamente não usei a internet e só comecei a costurar alguma coisa no fim-de-semana passado (publicarei em breve o que fiz), que era exactamente o que necessitava para “descomprimir”. Agradeço a todas as que continuaram a visitar o Couture et Tricot e envio um abraço especial às novas leitoras que têm comentado. Os meus leitores são espectaculares e a única razão que me motiva a continuar com este blog e a partilhar o que vou fazendo.

Queria também deixar um esclarecimento adicional quanto ao meu blog de guarda-roupa e estilo pessoal Tany et La Mode: este blog que comecei há pouco tempo não é acerca de costura nem manualidades, por isso não interessará às leitoras focadas somente nesses assuntos. Depois de algum tempo em que o blog esteve acessível a todos, resolvi por motivos pessoais torná-lo privado, acessível apenas por convite/subscrição. Recentemente reparei que os blogs privados têm um limite de 100 leitores, limite esse que está a ser ultrapassado pelo número de pedidos que tenho recebido… Ainda não decidi o que vou fazer, mas estou a ponderar a possibilidade de reabrir o acesso público.

Para terminar um grande abraço a todas/todos, obrigada pelo vosso carinho e compreensão… Hoje vou tentar começar a ler a minha “enorme” lista de blogs e ver o que vocês têm feito!

xoxo

Dear readers and friends, I’m back from my vacation and first of all I’d like to share my latest feature in the August issue of the Portuguese Burda, in which I explained step-by-step how I sewed the sequined vest from the Portuguese nº1 issue (the June issue). I diverged from the Burda’s original instructions and used a lot more hand sewing techniques, also adding a lining to the vest (the outer shell was entirely sewn by hand and the lining was also hand sewn to the vest). Here are the images of the final result and also the original model:



As for my vacation break, I feel renewed and rested. I barely used the internet, and I didn’t sew at all until last weekend. This was exactly what I needed for “decompressing”. I really appreciate all your comments and cheering and I also would like to welcome the new readers. My readers and friends are awesome and the only reason that keeps me moving forward with the blog and sharing what I sew.

I’d also like to make an additional clarification concerning my other blog Tany et La Mode. It is not a sewing blog, it’s a personal style/wardrobe blog and so it won’t be of interest to those of you who seek mainly for sewing knowledge and sewing inspiration. Tany et La Mode is a fairly new blog and after an initial trial period I decided to turn it private (accessible by invitation only) for personal reasons. Later I found out that blogger has some limitations for private blogs which are pretty inconvenient: it only grants access up to a limit of 100 readers and accounts other than gmail will expire in one month, needing monthly renewal. Since I’ve been getting many access requests and some people are experiencing problems in accessing, I am considering turning it public again, but first I must give it some more thought.

Finally, a big hug to all my readers and friends, THANK YOU so much for being here for me... I’ll start going through my tremendous blogroll starting from today and try to catch up with all that you’ve been doing.

xoxo