Thursday, August 27, 2015

Couture French Jacket: quilting sample and progress so far – Cardigan Alta-Costura inspirado em CC: Amostra do acolchoado e progresso até agora


EN Summary: It’s important to understand that this type of jacket is different because its light structure is achieved mainly by quilting the lining to the fashion fabric before the pieces are put together. The quilting is an important essential step of the construction process; therefore it must be proofed and tested so the end result achieves the high standards of a couture garment. Keep reading to find out more. 

---

PT Sumário: É importante perceber que este tipo de jaqueta é diferente porque a sua estrutura muito leve é conseguida através do acolchoar do forro (processo em que o forro é cosido ao tecido, tornando-se num só) antes das peças da jaqueta serem cosidas umas às outras. Este método é portanto uma parte essencial do processo de construção e como tal deve ser provado, testado e afinado antes de ser aplicado na jaqueta. Continuem a ler para saberem mais.
(Image credits: Kent State University Museum)
EN: To understand what I am trying to achieve I invite you to click here and peruse through a set of photos taken from an original Chanel tailleur from the 60's. As mentioned earlier, the lining is quilted to the fashion fabric; in this example, you can see the vertical even spaced stitching lines, the most common quilting on couture Chanel jackets. It’s important that the fabric has some sort of texture so the quilting stitches are not so obvious on the outside of the jacket. Matching color thread is used and if the fabric has a plaid pattern, these stitching lines often follow the plaid lines, hiding in plain sight. The stitching lines should match the grain of the fabric. 

---

PT: Para compreenderem o que estou a tentar conseguir, convido-os a visitar esta página (clicar aqui) onde podem ver fotos de uma jaqueta Chanel genuína dos anos 60. Como já tinha mencionado, o forro é “acolchoado” no tecido (só tecido e forro), ou seja, cosido ao tecido; podem observar os pespontos verticais, igualmente espaçados, a forma de “acolchoado” mais comum em jaquetas Chanel alta-costura. É por isso que estas jaquetas são feitas usualmente de bouclé ou tweed, o tecido tem de ter uma certa textura para que os pespontos não se tornem evidentes do lado de fora. É usada linha com a mesma cor do tecido e se este tiver um padrão aos quadrados ou xadrez, os pespontos seguem as suas linhas para ficarem ainda mais invisíveis vistos do exterior. Os pespontos seguem sempre o correr do fio do tecido.
EN: So how is this quilting done? It is important to know that the quilting is done before assembling the jacket. First of all you need a walking foot or IDT (if you’re using a Pfaff machine that comes with it, which is my case), because we’re joining two different fabrics, a slippery fabric under a textured fabric. We must guarantee an even feed of the two fabrics or else everything will be distorted. Then you need to mark the stitching lines parallel to the grain line, if the grain isn’t obvious. You can use several methods. Susan Khalje demonstrates this process in great detail in her video class (discussing several examples with different types of fabrics and marking options) and in Claire Shaeffer’s book there are also precise instructions on how to quilt the lining to the fabric pieces. There are a few rules because of the specifics of the assemblage (stitching the jacket pieces together) and that’s why it is important to study the process (using whatever references you can get: books, classes, etc.). Give it some thought and try it on a mock up before you put it into practice. So I decided to quilt two squares of boucle, each to its lining counterpart, and join these two resulting quilted squares on a seam, much like I will be doing on the jacket (it’s hard to photograph black so I had to lighten up the photos a bit): 

---

PT: Então como é que este “acolchoado” é feito? É importante saber à partida que o acolchoado é feito nas peças de tecido individualmente, antes de estas peças serem cosidas umas às outras. Primeiro precisamos de um pé calcador especial (duplo arrasto) ou, se tiverem uma Pfaff com IDT (que é o meu caso), faz o mesmo efeito. Estaremos a unir dois tecidos com características muito diferentes (por baixo um tecido escorregadio e por cima um tecido com textura), e se não garantirmos que os dois tecidos são “puxados” igualmente ao coser, o resultado vai ficar distorcido. Também é preciso marcar as linhas por onde iremos coser, ao longo do correr do fio (a não ser que o tecido tenha linhas verticais bem visíveis que poderão ser usadas como guia). Há vários métodos, mais ou menos adaptados a cada tipo de tecido, e a Susan Khalje explica vários destes métodos na sua aula vídeo. Também podem encontrar no livro da Claire Shaeffer um método bastante preciso para fazerem as marcações. Tendo feito a pesquisa, é importante depois experimentar e afinar o processo antes de começar a aplica-lo na jaqueta. Então decidi pegar em dois quadrados de bouclé, acolchoá-los com o forro e depois uni-los com uma costura, da forma como vou ter de fazer na jaqueta (fotografar negro não é fácil, tive que clarear um pouco as fotos):

EN: For the quilting I was mainly worried about getting the stitch length and thread tension right and made a few tries, so the stitching lines are not even on the sample. The sample was not pressed and the thread ends are not knotted and hidden. I was able to realize that the IDT alone doesn’t guarantee a perfect even feed with these fabrics, so I will have to use pins or bastings along the stitching lines while I quilt. The quilting must not be done too near the seam line; you must be able to press it open (the boucle allowances alone, that is), trim it so it lays flat between quilting lines and then overlap the lining over it along the seam line, covering the pressed open seam allowances permanently: 

---

PT: No acolchoado estava essencialmente focada em testar o comprimento do ponto e a tensão da linha para obter os melhores resultados e fiz algumas tentativas, por isso o acolchoado não está uniforme na amostra e as pontas não estão rematadas. Além disso a amostra não tinha sido passada a ferro. Deu para perceber que o IDT sozinho não garante um arrasto sem qualquer distorção; terei de alinhavar ou prender com alfinetes ao longo das linhas de pesponto para que os tecidos não deslizem. O pesponto deve estar a uma certa distância da linha da costura, para permitir depois fechar a costura à máquina (só no bouclé), abrir as margens a ferro e apará-las de modo a que “encaixem” entre os pespontos adjacentes do acolchoado. O forro vai ser depois dobrado por cima e sobreposto ao longo desta linha de costura, escondendo as margens do tecido de forma permanente:


EN: As you can see, I’m putting those large seam allowances into good use! The lining will be fell-stitched by hand along the seam line. It will look as if the seam line is just another line of quilting inside the jacket and the large encased seam allowances will provide a light structure to the jacket by cushioning the seams. 

---

PT: Como podem ver, há um motive para ter deixado margens grandes! O forro vai ser cosido sobre a costura com pontos invisíveis à mão, um acabamento que deixa a costura a parecer mais uma linha do acolchoado por dentro. As margens largas dão à costura um acolchoamento que lhe dá um pouco de estrutura também:

EN: As to my progress so far, I’ve cut the lining placing my jacket pieces (with the muslin pattern pinned to them) over the lining fabric, aligning the grain, and then just repined them catching the lining underneath. Then I cut around them leaving the same large seam allowances on the lining: 

---

PT: Quanto ao meu progresso até ao momento, já cortei o forro posicionando todas as peças da jaqueta ainda com o molde em pano-cru preso com alfinetes sobre o forro; é importante continuar a respeitar o correr do fio também no forro. Depois reposicionei os alfinetes de forma a prender o forro por baixo e cortei em redor, deixando margens generosas também no forro:

EN: I’ve also finished the backing buttonhole lining welts on the wrong side of the right front (instructions available on Claire Shaeffer’s book) and I’m ready to start quilting, so more later! 

NOTE: Marina wrote an excellent series of articles on the quilting process, you may find it very useful; check it out (click here).

--- 

PT: Também acrescentei uns pequenos vivos de forro no avesso das casas de botão da frente direita e estou pronta a começar o acolchoado! Esperem mais para breve!

NOTA: A Marina escreveu uma série excelente de artigos sobre o procedimento de acolchoar um forro, podem ler os artigos em Inglês (clicar aqui)


3 comments:

pilar garcia torres said...

Buen trabajo Tany!, no sé si yo tendría tanta paciencia para hacer ese tipo de chaqueta!
Seguiré tus progresos. Un beso

Tany said...

Gracias Pilar! Si, es un proceso que necesita de mucha paciencia,... Lo hago con ilusión, me encanta la aprendizaje de nuevas técnicas, especialmente de alta-costura que se pueden convertir en prendas ponibles :)

Mónica Martinho said...

Esta vai ser mais uma peça que te vai marcar!