Thursday, December 31, 2009

Parisienne Chic

Português
English (uncheck the other box and check this one)

Este foi o nome que decidi dar a esta sweater, por me lembrar Coco Chanel e Paris… E foi com este trabalho que comecei a sentir dormência nos braços à noite (NOTA: a dormência não me afecta a costurar ou a tricotar; só acontece à noite, quando já estou deitada e a dormir, fazendo-me acordar em pânico. No entanto estes problemas são regra geral degenerativos e pioram com trabalho manual repetitivo, como coser e tricotar. No limite, se não forem tratados, chega-se ao ponto de perder o uso das mãos, que deixam de conseguir segurar objectos e fazer trabalhos minunciosos).


Modelo original: revista Phildar No. 480, Tendances Hiver 07/08, modelo 2: sweater de lã grossa semi-justa com gola em separado e mangas em forma de sino:

Material usado: 20 novelos de Rosários 4 Capuccino em preto e marfim (tricotado em fio duplo) e agulhas de 10mm (as agulhas e o fio são diferentes das especificadas, por isso tive que fazer contas alterar o modelo para conseguir o mesmo resultado).

Alterações: No modelo original o decote não leva qualquer tipo de acabamento; no meu caso fiz uma gola levantando as malhas e tricotando algumas carreiras em canelado. Também acrescentei uns pequenos chumaços para dar o efeito “ombros pontudos” que tanto se usa agora.

A gola é feita em separado e fica muito bem com a sweater ou usada por cima de um casaco preto:

Finalmente, e para realçar ainda mais o estilo parisiense, fiz esta boina baseando-me neste modelo (clicar aqui) e acrescentando um Amor-perfeito feito de croché:

Conclusão: Um modelo muito fácil e rápido (além de quentinho e confortável) mas que me deixou os pulsos um pouco doridos… As agulhas que usei são um pouco pesadas (não tinha agulhas circulares desta medida e tive que usar das rectas).

Minhas queridas e queridos, com este projecto me despeço até daqui uns meses… Espero que tenham gostado destes meus “projectos offline”; apesar de ter pouco tempo lá fui conseguindo fazer alguma coisa durante os fins-de-semana (dois casacos e um fato em 4 meses não é mau). A todos(as) desejo um Novo Ano com todos os vossos desejos concretizados! Até à próxima!


I named this sweater like this because it reminds me of Coco Chanel and Paris… The numbness on my arms started when I was knitting this sweater, perhaps because the needles were so big and heavy and my wrists were often sour. By the way, the numbness doesn’t affect me during the day, only during my sleep at night; these problems are often caused by repetitive manual work and are degenerative so I must take some care and take it easy, avoiding long periods of time sewing or knitting.


Original model: Phildar No.480 Magazine (Tendances Hiver 07/08) model 2: semi-fitted chunky sweater with separate wide collar and bell sleeves:

Materials: 20 skeins of Rosarios4 Capuccino in black and ivory (double strand) and US15 needles (both needles and yarn are different from the specifications so I had to alter the gauge)

Modifications: The neckline of the original sweater was raw but I decided to knit a ribbing in black. I also added small shoulder pads to achieve a pointed effect that is so fashionable these days.

This is the separate collar that can be worn with the sweater or alone (I wore it with a black turtleneck and a black coat the other day):

Finally and for a truly “Parisienne” style, I crocheted this beret based on these instructions, adding a crocheted pansy flower on the side:

Conclusion: It’s a very easy and quick model but I think it's very cute. Beware of your writs if you knit using large needles! I didn’t have circular needles so used long needles, which are heavy and hurt if knitting for long periods of time.

My dear friends, 2009 is almost over now and I must say goodbye for a few months. I hope you all enjoyed my “offline projects”; in spite of the limited time I did managed to do some sewing during the weekends and vacation time (a skirt suit and two coats in 4 months is not bad at all). I wish you all a Happy New Year and all your wishes fulfilled! Be Happy!

Wednesday, December 30, 2009

Casaco curto pied-de-poule – Houndstooth short coat

Português
English (uncheck the other box and check this one)

Modelo original: Vogue 8548


Descrição: 3 versões de casacos forrados A, B e C em dois comprimentos; têm a parte superior com costuras princesa, parte inferior evasé, variações de abotoadura e mangas em dois comprimentos. A e B têm pespontos decorativos, B e C têm aselhas de botão (pequenos loops de cordão) e A tem casas de botão. O comprimento de B e C é cerca de 5cm acima do joelho (A é mais curto cerca de 10cm). Fiz a versão B (mangas compridas, gola larga e aselhas) com o comprimento de A e também adicionei bolsos de chapa com um botão decorativo.

Notas sobre o molde: Há pelo menos um passo em falta nas instruções, a aplicação das molas de pressão que seguram a parte superior da frente do casaco. As instruções também não mencionam reforçar com entretela as laterais da frente e das costas e na minha opinião é conveniente fazer isto.

Construção: A construção deste molde é bastante simples e tem algumas particularidades interessantes, como as vistas feitas com o mesmo molde da parte superior central da frente e parte superior central das costas (a saia fica sem vistas na frente). Segundo as instruções, estas peças seriam cortadas no tecido do casaco. No meu caso resolvi usar uma sarja preta (a mesma que usei para a parte inferior da gola e vistas do casaco Orquídea Azul), uma vez que usar o mesmo tecido neste caso seria muito volumoso. O molde especifica tecidos leves e finos e no meu caso estou a usar um tecido grosso e pesado (que na minha opinião favorece o modelo), além de o reforçar com entretela de alfaiate (crina) termo-colante. Esta entretela é do tipo mais fino, mas mesmo assim é bastante forte. As partes superiores do casaco são reforçadas com esta entretela, incluindo as laterais, que nas instruções não levam reforço. Em forro temos as partes laterais e as saias. Basicamente temos uma parte de fora do casaco em tecido pied-de-poule e uma parte de dentro exactamente igual, mas cortada em forro e sarja preta. O forro das mangas é cosido à máquina ao punho da manga antes de a coser ao casaco, e depois à mão na cava do casaco. Outra coisa que fiz diferente foi unir o forro ao casaco na bainha (nas instruções o forro fica solto). Como podem ver nas fotos acrescentei bolsos de chapa forrados com um botão decorativo. Os bolsos foram confeccionados usando o molde e as instruções dos bolsos do casaco Dior (ver aqui).

Detalhes do casaco concluído:


Os botões, já os tinha para aqui há bastante tempo; para fazer as aselhas usei uma tira de sarja preta cortada em viés para fazer um rolinho e depois passei cordão de 4mm por dentro do rolinho. É preciso cuidado a cose-las para que a costura do rolinho fique virada para dentro:


Os bolsos; vejam como tive o cuidado de casar o tecido para que os bolsos fiquem praticamente invisíveis:

O casaco por dentro, onde se pode ver as partes cortadas em sarja preta e o forro:

O canto da bainha e do forro; como não há vista o forro é cosido directamente na orla da saia; deve-se puxar um pouco o forro para dentro antes de pespontar a orla da frente para que o forro nunca seja visível:

As duas molas que segura a parte da frente em pé:

Conclusão: Este casaco é bastante fácil e rápido de fazer, embora eu o tenha “complicado” um bocadinho, mas creio que o resultado final valeu a pena! Tem um estilo um pouco vintage, tal como os dois últimos projectos que apresentei. Gosto muito das mangas a “abrir” no punho (mangas sino) e da gola larga e levantada. Este casaco não pode levar chumaços porque o ombro é demasiado estreito, mas é importante que tenha o ombro bastante reforçada para suportar o peso da manga sem abater. E creio que fechei 2009 com chave de ouro em termos de costura!

Obrigada por toda a ajuda, conselhos e sugestões, que aprecio e valorizo. Dou também as boas-vindas a que comenta pela primeira vez! Até breve!

NOTA: Podem ver-me a usar o casaco aqui.


Original model: Vogue 8548


Description: There are three versions of lined coats, A, B and C, in two lengths and collar variations; the bodice has princess seams, A-line skirt, closure variations and sleeves in two lengths. A and B have topstitched seams, B and C have cording button loops and A has buttonholes. B and C are 2” above the knee and A is 4” shorter. I made view B (long sleeves, wide collar and button loops) but opted for the length of A for the skirt. I also added lined patch pockets with decorative buttons.

Notes on the pattern instructions: There’s at least one step missing for placing the front snaps. The instructions don’t mention interfacing the side panels (both front and back) and in my opinion this area needs some reinforcement.

Construction: It’s quite straight forward and has a few peculiar aspects as facings using the same bodice patterns as the coat and the absence of a facing along the front edge on the skirt. According to the instructions the facing fabrics would be cut of the same fabric as the coat. I opted for a different fabric instead, since I’m using coating fabric (not a lightweight fabric as stated in the pattern directions). I used the same black serge as in the Blue Orchid jacket. The collar should be able to stand so I guessed the bodice needed some structure so I used fusible tailor canvas on every bodice outer shell pieces. I also reinforced the armholes with fusible tape. The side panels of the inner shell are made of lining and so is the inner skirt. The lining sleeves are sewn by machine to the sleeve cuffs before the sleeves are set in place; after stitching the sleeves to the armhole, the lining sleeve is hand sewn to the armhole, incasing the raw edges. Instead of a free-hanging lining on the skirt I sewed the lining along the hem. I added the same patch pockets of the vintage Dior coat (used the same pattern and the instructions).

Details of the finished coat:


The buttons came from my stash and instead of plain cord for the button loops I made some bias tubing to cover the cord. The stitching line of the tubing must be facing inwards.


The pockets; notice how the fabric matches and the pockets are almost invisible:

Here’s the inside of the coat where you can see the lining and the facings:

The bottom corner of the skirt; there’s no facing and the lining skirt is sewn directly to the skirt front edge. Before topstitching the edge is basted favoring the outer fabric, so the lining will not peek out from the skirt front edge:

These are the two large snaps that keep the collar standing up:

Conclusion: This coat is easy and straight forward and I believe I added value to the coat and the end result is well worth it. As the previous two projects, it has a certain vintage touch to it and the truth is, I was obsessing over a houndstooth coat since early fall and now I finally get one! I really love the bell sleeves and the collar. This coat can’t take shoulder pads because the shoulders are so narrow, but a good inner structure will support the weight of the sleeve and will prevent the shoulders from collapsing. And I think this closes 2009 sewing wise for me!

Again, I thank you so much for your help, advice and good wishes! I also welcome the new commeters to Couture et Tricot! Happy Sewing 2010, everyone!

ETA: You can see me wearing the coat here.

Monday, December 28, 2009

O meu primeiro projecto Marfy – My first Marfy project

Português
English (uncheck the other box and check this one)

Modelo Original: Marfy F2005

Descrição: Casaco muito ao estilo Audrey Hepburn no filme Breakfast at Tiffany’s, como relembrou o meu amigo Paco, a quem devo agradecer pelo contacto do seu Amigo que vive em Itália e que teve a gentileza de enviar-me este e outro molde.

Tem uma gola subida e larga, o corpo é ajustado por vários recortes verticais contendo uma carcela escondida na frente; a saia é um pouco mais ampla e franzida com um grande macho atrás, além de duas pregas de cada lado na frente, nascendo nas costuras verticais. A cintura é marcada com um cinturão abotoado nas laterais da frente. As mangas são estreitas e ligeiramente tufadas em cima. O casaco leva também pespontos feitos à mão para um maior contraste das costuras. Também adicionei bolsos metidos na costura lateral, que não constam do modelo original.

Construção: Os moldes Marfy são um pouco diferentes do que estamos habituadas: são traçados à mão, vêm já recortados e não trazem quaisquer instruções nem planos de corte, sendo que a construção do modelo fica à consideração do executante. O molde contém apenas as peças básicas necessárias; por exemplo o forro não tem molde próprio, e deve ser traçado a partir do molde do casaco descontando as vistas. Os pontos de junção que nos ajudam a determinar como se juntam as peças são identificados por letras do alfabeto.


O tecido que utilizei é misto de lã e caxemira comprado na loja British Fabrics no eBay e tem uma cor laranja a tender para o salmão. Tem um cair muito suave e de início pensei ser demasiado fino para um casaco; neste momento sei que foi a escolha perfeita. Para os pespontos utilizei fio de bordar, como podem ver na foto, juntamente com os botões à cor (os pequenos ficam escondidos na carcela) e as linhas de coser:

Para começar reforcei todas as peças com entretela de nylon fininha, que dá um pouco mais de corpo ao tecido e evita que engelhe tanto ao usar. Descobri esta entretela há pouco tempo na Retrosaria Nova em Aveiro, e é um pouco mais forte que a entretela de malha fininha que costumo usar, sedo um óptimo substituto para a organza de seda muitas vezes usada como “underlining” em peças de alta-costura. A parte exterior da gola e do cinto foram reforçadas com entretela tecida (um pouco mais forte), sem valores de costura. Depois prossegui marcando todas as linhas e marcações com alinhavos:

Além dos chumaços de alfaiate com desconto nas costas e das cabeças de manga “moustache”, reforcei a linha das cavas com fita termo-colante; o peito levou um “escudo de peito" feito com entretela de alfaiate e cosido à mão à frente:

As costas também levaram um reforço feito de pano de algodão:

Para os pespontos experimentei um ponto de corrente longo e gostei do resultado:


A carcela escondida foi um desafio por si só, mas no fim ficou muito bem; o facto de ter usado cetim (o tecido que usei para o forro), diminuiu o volume desta carcela significativamente.


Depois de fazer alguns testes gostei bastante do resultado do caseado à máquina e decidi incorporá-lo:

Quanto ao forro, foi inteiramente cosido à mão de acordo com o método "vintage" em que as mangas de forro são também cosidas à mão às cavas, depois de o corpo do forro estar aplicado. A gola foi aplicada por último, encarcerando o forro e o tecido.

Detalhes finais:

A gola e a casa avivada tamanho gigante:

Os bolsos metidos na costura:

O cinturão:

A carcela escondida:

A corrente de pendurar:

A minha etiqueta juntamente com a etiqueta de origem do tecido:

Conclusão: Como primeira experiência com os moldes Marfy, adorei e quero repetir! O facto de não ter instruções pode parecer assustador à partida, mas para uma pessoa com prática é até libertador e dá asas à criatividade individual. As imagens falam por si, o casaco ficou lindo e com muita qualidade. Posso dizer que veste maravilhosamente; embora não tenha tido tempo de fazer uma sessão com ele vestido, já o usei várias vezes com cinzas e preto pois este ano fez bastante frio no final do Outono. É claro que envolveu bastante trabalho manual, que coincidiu com a minha fase de negação quanto ao problema da dormência… Como resultado o problema piorou, mas depois tirei uns dias para descansar e parece-me que voltei a ficar melhor.

Aproveito para agradecer a calorosa recepção de todas e todos além dos conselhos muito úteis; vocês emocionam-me sempre e estava mesmo a precisar de desanuviar escrevendo no blog… Quanto ao meu problema, prometo que não vou desleixar nem deixar de ir ao médico; apenas quis tirar um tempo, pois estava farta de consultas. Sendo uma pessoa saudável que nunca precisou de fazer grandes exames e consultas, passei para o extremo oposto com uma série de exames (aos indicadores da tiróide, raio-X, electromiografia, densitometria óssea, etc.) e várias consultas primeiro de clínica geral e depois de ortopedia. Andava deprimida com tudo isto e precisei de um tempo, é só.

Bem, de costura ainda tenho mais um casaco para mostrar. Vou também publicar a última sweater de tricô que fiz, e que provavelmente foi a responsável por despoletar o meu problema, pois usei agulhas e lã muito grossas, forçando muito os pulsos. Até breve!

NOTA: Podem ver-me a usar o casaco aqui.


Original model: Marfy F2005

Description: As recalled by Paco (to whom I owe putting me in contact with a friend in Italy who was so kind and got this pattern for me), this coat resembles the style of Audrey Hepburn in the movie Breakfast at Tiffany’s:

It features a wide standing collar, the bodice is fitted by the means of several vertical seams and there’s also a hidden placket as front closure; the skirt is flared and shirred, with a back box pleat and two front pleats on each front originating from the vertical seams. The waist is highlighted by a large buttoned belt. The two-piece sleeves are slim and slightly puffed on the sleeve cap. Some seams are topstitched for contrast using a long chainstitch instead of the traditional saddle stitch. I also added in-seam pockets to this model.

Construction: As some of you may acknowledge, Marfy patterns are a little different from what we are used to: they are hand traced and already cut, having no seam/hem allowances included, no instructions and no cutting layouts. The construction process is left entirely up to the dressmaker to decide. The pattern only includes the basic pieces; for example there was no lining pattern and it must be traced using the coat pattern as a base, excluding the facings width. The notches and junction points are identified by alphabet letters and provide a pretty good indication of how all the pieces should come together.


The fabric used is a wool/cashmere mix that I bought at British Fabrics on eBay; its color is a faded orange tending to salmon. It hangs beautifully and at first lead me to think that it would be too soft/thin for this coat. I was proved wrong as the coat came along though. For topstitching I used embroidery thread and a long chainstitch instead of the usual saddle stitch. You can see some of the materials used in the next picture, including the buttons (the smaller ones are intended for the hidden placket):

First I underlined all the pieces with thin knit fusible; this is a variety that I never had used before, since I found it a short while ago at a local notions store: it’s crispier than the one I’ve been using for the same purpose and delivers a similar effect to silk organza. The outer collar and outer belt were reinforced using thin woven interfacing with no seam allowances for bulk reduction. Next I thread traced all the stitching lines and markings:

Besides using cropped-back tailor shoulder pads and moustache sleeve heads, I reinforced the armholes with fusible tape; I also applied a canvas made chest shield padstitched to the front:

The back was also reinforced with cotton muslin:

Here’s the topstitching (a long chain stitch):


The hidden placket was a challenge on its own but I think it came out pretty good once I figured it out. The use of satin (the same used for the coat lining) makes it less bulkier (there’s a pattern piece for the placket and it has “lining” written to it so Marfy designers thought of this too):


After running some tests I went with the machine buttonholes for the placket:

The lining was stitched to the coat entirely by hand and tacked to the side seams; the lining sleeves were hand tacked to the sleeve back seams and were also sewn by hand to the armholes after the lining body was set in place (vintage method); the collar was set for last, encasing both lining and fabric.

Final details:

The collar and the large bound buttonhole:

The added in-seam pockets:

The waist belt, also with large buttonholes:

The finished hidden placket:

The hanging chain:

My label next to the fabric’s origin label:

Conclusion: As a first experience with Marfy patterns I really loved it! Not having instructions and cutting layouts might sound scaring but with some practice it’s really a mind freeing experience and it provides room for individual creativity. The pictures talk for themselves, the coat came out beautiful and with very high quality. It wears beautifully (take my word for it: I’ve worn it with a grey outfit and also with a black outfit and got lots of compliments). It was a ton of hand work during the time when I was in strong denial concerning my numbness problem; as a result I got worse and had to slow down a little bit afterwards.

I really want to thank the warm welcoming and the valuable advice concerning my problem; I really needed to take it out of my chest. I promise I will follow up this problem; it happens that I’ve always been a very healthy person that managed to stay away from doctors and medical exams (except the routine ones, of course). At sudden everything changes and I saw myself going to the doctor almost every week and making all kinds of exams (I made a thyroid check-up, several X-rays, an electromyography, a bone densitometry, all in a month time), and on top of all I still didn’t get a precise diagnostics. I couldn’t recognize myself in this position and had to take a break…

Ok, so there’s one more sewing project to show (another coat but this time it’s an easier one, I promise!) and I think I'll share my last knitting project, the one I believe triggered this numbness: I used huge knitting needles and heavy yarn and it really soured my writs back then. I remember the symptoms appearing little time afterwards. See you all soon!

ETA: Pictures of me wearing the coat are published here